Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

o largo.

onde tudo acontece...

22.09.17

Há Jazz no Douro em época de vindimas


helena margarida

Divulgação

 

Arranca no dia 4 de outubro a 14ª edição do Douro Jazz. No palco do Teatro de Vila Real vão atuar nomes maiores da música nacional e internacional e revelados jovens talentos nacionais. Na “pauta” deste festival estão também os melhores vinhos da região, espaços dedicados ao público infantojuvenil e uma exposição de discos de vinil.

A abertura do Douro Jazz será da responsabilidade da consagrada cantora Maria João numa colaboração com o trio Budda Power Blues. Nesta experiência no mágico universo dos blues, Maria João deixa cair o seu registo icónico para se apoderar das canções de Budda, considerado o melhor músico de blues do país.

Num segundo momento, o Douro Jazz irá dar a conhecer Beatriz Pessoa, cantora e compositora de registo intimista, fresco e suave, entre a pop e o jazz.

O encerramento do Festival está a cargo de Carmen Souza, batizada pela imprensa internacional como a 'Ella Fitzgerald de Cabo Verde' ou 'a nova Cesária Évora'. A artista tem o dom de conciliar na perfeição vários géneros musicais, do jazz à world music, do fado ao samba, da morna à bossa nova, incluindo o 'blues cabo-verdiano'.

 

Mas nem só de artistas consagrados vive o Douro Jazz. Este ano os músicos da região e jovens talentos nacionais também vão ter um espaço no Festival. Os Putos do Jazz, seguido por uma 'jam session' aberta à participação de outros músicos vila-realenses, são as sugestões.

Já a nova geração de artistas nacionais tem como representantes o projeto Home, liderado pelo acordeonista João Barradas, e um dos vários projetos do compositor e multi-instrumentista Bruno Pernadas, presença crescente em palcos de jazz e de grandes festivais de Verão da música em Portugal.

Para o público infantojuvenil a proposta é de um espetáculo sobre jazz, poesia e hip hop. 'Jazzhop!' é uma viagem no tempo e no espaço em busca das ligações entre a música e a palavra.

A exposição de discos de vinil intitulada 'Excertos da Coleção de Francisco Vicente de Sousa, Um Amante de Jazz' completa o programa. Refira-se que, no final do concerto de encerramento por Carmen Souza, alguns dos vinis desta coleção serão postos a tocar, num DJ set com vinho Douro Jazz que prolongará em festa a última noite da edição de 2017.

douro-jazz-2017-cartaz-oficial.jpg

 

Vinho Douro Jazz

DivulgaçãoO Douro Jazz junta a música ao vinho produzido na região. Assim, sob o mote ‘Jazz em época de vindimas’, será servido em todos os concertos do Festival um vinho selecionado pela Lavradores de Feitoria, empresa que reúne várias quintas e produtores do Douro.

 

 

estamos no facebook e no twitter.
visita também a bilheteira do largo.
publicidade