Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

o largo.

onde tudo acontece...

25.02.19

Diretora de informação acaba com "Telejornal" e "Jornal da Tarde" na RTP 3


Bruno Micael Fernandes

Paulo Spranger/Global Imagens/Direitos reservados

Maria Flor Pedroso vai acabar com a emissão simultânea do "Telejornal" e do "Jornal da Tarde" na RTP 1 e na RTP 3, ficando a emissão dos dois principais blocos noticiosos da televisão pública no "primeiro canal". 

De acordo com a edição online do Correio da Manhã, a notícia não caiu bem junto da redação, com vários jornalistas a contestar a decisão da diretora de informação. Segundo um jornalista à mesma publicação, "o argumento da Flor (Pedroso) é este: que a lógica de um canal de notícias é outra bem diferente" e, devido à presença da RTP 3 na TDT, também se coloca a "questão da diversidade". 

A estratégia seguida pela nova diretora de informação já foi aplicada há anos mas, segundo alguns jornalistas, "não vingou. Perderam-se muitos espetadores na altura e vão perder-se ainda mais agora. As pessoas vão mudar de canal às 13h e às 20h" referem alguns jornalistas ao matutino. 

A media entrará em vigor a partir de 04 de março, sendo que os blocos noticiosos vão aparecer "repetições de programas da noite anterior" (às 13h) e de documentários (às 20h)". 

Provedor do Espetador já tinha manifestado ser contra as emissões simultâneas

As emissões simultâneas do "Jornal da Tarde" e do "Telejornal" foram abordadas no passado dia 03 de novembro, no programa "Voz do Cidadão" da responsabilidade de Jorge Weamns, Provedor do Telespetador da televisão pública. 

Na altura, João Fernando Ramos, (à altura) Diretor-Adjunto de Informação da RTP, justificava a opção da transmissão simultânea com o facto de se fazer um "investimento" dos principais conteúdos noticiosos naqueles blocos noticiosos. "Não fazia sentido aquele espaço não estar naquele minuto, naquele segundo também na RTP 3", referia. O ex-diretor também se justificava com as audiências: "A linha de audiências é muito mais constante" com a transmissão dos dois blocos de noticias.  "Nós praticamente íamos a zero às 13h e às 20h e atualmente temos uma audiência constante. As pessoas identificam-se com este ciclo". 

RTP/Direitos reservados

Jorge Wemans não concordou com a visão. "Apesar da coerência dos  argumentos avançados pelo responsável da RTP 3, o provedor dá-lhes (aos espetadores) razão". A posição do provedor é clara: "A emissão simultânea do mesmo programa em dois canais" contraria o objetivo de "contribuir para a diversidade da oferta televisiva" que, para o ex-diretor de programas da RTP 2, "faz parte do núcleo principal da missão do serviço público de televisão". Além disso, "reduz a possibilidade de escolha dos telespetadores". 

"O desafio que a RTP 3 enfrenta é o de criar um perfil informativo bem distinto daquele que caracteriza a RTP 1. O que os telespetadores querem é poder escolher entre dois tipos de informação diferentes, entre duas formas distintas de trabalhar e de apresentar a atualidade", deixando um desafio "que não é pequeno": "Fossem as manhãs informativas da RTP 3 marcadas por um tipo de jornalismo de informação com abordagens à realidade distintas da RTP 1 e logo o público perdoaria um simultâneo nos dois grandes blocos informativos do dia". 

RTP 3 é emitida, ela própria, em simultâneo nos canais regionais RTP Açores RTP Madeira. Neste último, durante a semana, a emissão em simultâneo com o canal de notícias pode somar cerca de 17 horas consecutivas. 

Há problemas na redação

Mas os problemas da RTP não se ficam por aqui. 

Há "enormíssimas dificuldades técnicas, até ao nível de equipamentos" e que estão dificultar o trabalho dos jornalistas da estação pública. A diretora de informação reconheceu isso mesmo à redação. Recorde-se que, no passado dia 18 de janeiro, segundo o Correio da Manhã, a RTP, que tinha um exclusivo com imagens e declarações do primeiro-ministro António Costa sobre os preparativos da nova campanha de combate aos fogos florestais em 2019, perdeu todos esses dados num servidor considerado "obsoleto". 

Maria Flor Pedroso disse à redação que vai ser criado "um grupo de trabalho multidisciplinar na RTP" para estudar alterações à imagem da informação da estação. Além disso, reunirá com os coordenadores das delegações regionais por forma a melhorar as condições e, por ventura, redesenhar o mapa das áreas geográficas. 

estamos no facebook e no twitter.
visita também a bilheteira do largo. e torna-te patrono.
publicidade