Guimarães: Banhos Velhos arrancam programa cultural

Concerto de Surma e Mira Quebec abre temporada
Pedro Pina/RTP
Este artigo foi publicado há, pelo menos, 1 ano, pelo que o seu conteúdo pode estar desatualizado.

A temporada cultural nos Banhos Velhos, nas Caldas das Taipas, em Guimarães, já tem data para arrancar: Surma e Mira Quebec são os anfitriões do primeiro espetáculo da temporada no museu termal vimaranense que acontece já esta sexta-feira, 16 de junho.

Numa nota enviada às redações, a Taipas Termal, gestora do espaço, diz que este será um “espetáculo único de música eletrónica”: “A carreira de Surma tem emitido uma luz especial e rara, traduzida pela adição de prémios e impressionantes conquistas que nos explicam o calcance da sua música”, refere o espaço, acrescentando que a intérprete trará o vimaranense mira Quebec, acompanhado de Diogo Mendes.

O concerto arranca às 22h, sendo que a entrada é gratuita.

Exposição de alunos da UMinho também marca arranque de temporada

A exposição “A-76” também está incluída no reinício do programa cultural dos Banhos Velhos. A mostra é organizada pelos alunos finalistas da licenciatura de Artes Visuais da Universidade do Minho (UMinho).

Ao todo, serão 16 estudantes vão expor os seus trabalhos numa exposição com alguma simbologia: “Este grupo de estudantes de artes visuais, em exposição no Banhos Velhos, está em transformação”, refere a diretora da licenciatura Carla Cruz num texto que publicou no site da Escola de Arquitetura, Arte e Design da UMinho, explicando que o nome da mostra vem de um iceberg “maior do que Maiorca, menor do que as Malvinas” que “anda à deriva no Oceano Atlântico Sul”. Criando um paralelismo com esta “jangada de gelo”, a docente diz que também os estudantes se estão “a deslocar-se da plataforma-mãe, a UMinho”.

A exposição será inaugurada no dia 14 de junho, a partir das 18h, podendo ser visitada até dia 15 de julho. A entrada é gratuita.

Total
0
Partilhas
Artigo anterior

Ex-praticante de "cura gay", um pastor LGBTQIA+, diz que "Igreja é uma instituição homofóbica"

Artigo seguinte

"Vinhos a Descobrir" está de regresso a Lisboa

Há muito mais para ler...