Tondela candidata Festa das Cruzes a Património Imaterial nacional

Celebração tem mais de 300 anos.
Município de Tondela
Este artigo foi publicado há, pelo menos, 1 ano, pelo que o seu conteúdo pode estar desatualizado.

A câmara municipal de Tondela efetivou a candidatura da Festa das Cruzes ao Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial. A iniciativa da autarquia foi efetivada no passado dia 18 de maio, sendo que foi anunciada publicamente este sábado.

Numa nota enviada à imprensa, a autarquia esclarece que a tradição vem do tempo da conquista de território: “A Festa das Cruzes acontece há mais de 300 anos, juntando as povoações de Castelões, Santiago de Besteiros e Campo de Besteiros, povos que anualmente, por altura da Ascensão, sobem à serra, juntando-se aos habitantes do Guardão, para cumprir “a promessa antiga” de agradecimento à Nossa Senhora dos Milagres pela sua ajuda na expulsão dos mouros”, explica o município, acrescentando que os fiéis das três freguesias “percorrem o mesmo itinerário ancestral, da Capela de São Bartolomeu até ao Guardão, ao som de ladainhas, para o abraço das suas cruzes com as da freguesia anfitriã, sob uma chuva de pétalas de flores. A singularidade desta manifestação reside no momento em que as cruzes se tocam, duas a duas, repetindo o abraço do “tempo da memória”, em que o povo se abraçou por ter conseguido, com ajuda divina, expulsar os mouros”, acrescenta.

A presidente da autarquia Carla Antunes Borges considerou que a candidatura é uma “obrigação de cuidar e preservar, queremos que seja uma festa de todos, uma festa nacional. Se este registo nos for concedido a Festa das Cruzes será elevada a um patamar nacional”, acrescenta.

A efetivação aconteceu simbolicamente no mesmo dia em que se celebrava tradicionalmente a festa, quinta-feira da Ascenção. A partir de 2022, a celebração começou a ser celebrada no sábado seguinte para que atraísse mais pessoas.

Total
0
Partilhas
Artigo anterior

Uma importação de práticas não democráticas: o ataque do Quirguistão aos media, jornalistas e bloggers

Artigo seguinte

Morreu a jornalista Lídia Sales

Há muito mais para ler...