Benoît Prieur (CC-BY-SA)

RT France fecha portas

Canal está impedido de emitir no espaço europeu devido às sanções impostas à Rússia.
0 Partilhas
0
0
0

Cento e vinte e três funcionários, setenta e sete jornalistas e um “silêncio ensurdecedor”. Foi desta forma que a RT France descreveu o seu encerramento, numa nota enviada à imprensa este sábado. A versão francesa do canal Russia Today encerra depois da União Europeia (UE) ter decidido bloquear os bens do grupo de media russo em solo europeu.

Pacote de sanções “não visa o nosso canal” – RT France

França era o único país da UE que albergava uma filial da Russia Today, daí que a situação possa escalar para uma troca de sanções com a Rússia.

Tudo começou sexta-feira, 20, com uma denúncia dos sindicatos dos trabalhados da RT France: o Estado francês havia congelado as contas e bens do canal. “Recebemos uma carta do nosso banco, a 18 de janeiro, a informar que as nossas contas bancárias haviam sido congeladas a pedido da Direção-Geral do Tesouro”, frisou um delegado sindical do Sindicato National dos Jornalistas francês ao jornal Le Parisien.

O ministério da Economia francês diz que a situação de congelar os bens não parte diretamente do Governo, mas sim de uma decisão europeia tomada em dezembro, que previa o congelamento de contas bancárias e bens de diversas entidades, entre as quais a ANO TV Novosti, uma empresa gerida pelo Estado russo e que detém a RT France na totalidade.

A decisão do canal não demorou mais do que um dia: não havia condições para continuar. Ao início da tarde deste sábado, o Gabinete de Imprensa do canal emite um comunicado muito duro, disparando contra tudo e todos, mas deixando para o fim o essencial: mais de cento e vinte pessoas iriam para o desemprego.

A nota partilhada no site da estação (acessível apenas por VPN em espaço comunitário) começa por dizer que “as autoridades no poder alcançaram o seu objetivo: o encerramento da RT France” e defendem que o pacote de sanções “não visa o nosso canal, mas a nossa acionista e empresa-mãe”.

“Alguns colegas confundiram o seu papel de jornalista com o de polícias ou juízes” – RT France

O comunicado faz também um longo historial da atividade da RT France no que acreditam ser o seu trabalho pela liberdade de imprensa: “Neste mundo de meios de comunicação cada vez menos representativo e cada vez mais estreito, onde o pensamento crítico já não é permitido, a RT France era uma lufada de ar fresco. Sem julgamentos, mas sempre com seriedade e rigor, fazíamos questão de apresentar todas as opiniões, de dar voz a todos, de “ousar questionar”: este era o slogan da RT France e era isto que nos animava todos os dias”, acrescenta.

Partindo para o ataque, a nota dá conta que os media franceses foram coniventes com toda a situação, contribuindo para a pressão no canal: “A RT France foi sendo o alvo, desde o seu lançamento, de alguns jornalistas cheios de certezas, há muito desligados da realidade do povo francês, e portadores da sua moral e boas intenções que impõem nos seus artigos e crónicas, em detrimento de toda a honestidade intelectual e no desprezo de uma maioria silenciosa (incluindo colegas jornalistas, gostaríamos de acreditar), que foram subjugados a um pensamento único”. E vai mais longe, acreditando que a guerra da Ucrânia, foi apenas um pretexto para encerrar o canal, “sem que a RT France alguma vez tenha sido condenada ou sancionada por alguma coisa”: “Uma decisão política fora de qualquer quadro legal previamente estabelecido é o que se designa por censura“, acusa.

O canal acrescenta que a medida “arbitrária” de congelamento dos bens foi o culminar de uma campanha organizada de “notícias e crónicas que não tinham outro objetivo que não fosse o de nos prejudicar”: “Trabalhando claramente em concertação com as autoridades, alguns colegas confundiram o seu papel de jornalistas com o dos polícias ou juízes, apelando entre linhas à censura dos nossos órgãos de comunicação social e não hesitando em utilizar informações falsas, alegando, por exemplo, que a atividade da RT France era proibida ou ilegal”. E vai mais longe, acusando o regulador francês de ter sido silenciado: “O encerramento da RT France, num silêncio ensurdecedor por parte de outros meios de comunicação social e jornalistas franceses, é apenas um primeiro passo extremamente perigoso, porque, depois do nosso canal, outros meios de comunicação social serão o próximo alvo“.

Lançado em 2017, o RT France era a filial do canal Russia Today para o mercado francófono, emitindo para França, Bélgica, Canadá, Suíça e na zona do Mediterrâneo. Com o encerramento da estação, cento e vinte e três trabalhadores franceses, entre os quais setenta e sete jornalistas, vão para o desemprego. Detido e financiado diretamente pelo Estado russo através da agência Rossi Segodnya, o canal estava disponível em Portugal através de satélite. Recorde-se que apenas a estação-mãe, a RT, era transmitida em Portugal através MEONOS, NOWO e na Vodafone Portugal, sendo que nesta última era também transmitido o canal de documentários RT Documentary. As emissões foram suspensas no passado dia 02 de março.

Encontrou um erro ou um lapso no artigo? Diga-nos: selecione o erro e faça Ctrl+Enter.

0 Partilhas
Há mais para ler...