Divulgação

Paróquia ameaça processar José Malhoa devido a videoclip

Gravações aconteceram sem autorização no interior de igreja.
1 Partilhas
1
0
0
Este artigo foi publicado há, pelo menos, 6 meses, pelo que o seu conteúdo pode estar desatualizado

A Paróquia de Cortegaça, em Ovar, promete “agir em conformidade” contra o que diz a “forma “espalhafatosa” como o artista José Malhoa e a sua equipa de produção usaram a Igreja Matriz” daquela freguesia.

Em causa, está o videoclip do tema “Ela Queria Três” (Vidisco, 2022), que foi disponibilizado esta terça-feira no YouTube. O vídeo apresenta cenas gravadas no interior e no exterior do local de culto, o que levou a paróquia demarcar-se, dizendo que as gravações ocorreram à sua revelia: “A Paróquia de Cortegaça e o seu Pároco, responsável máximo da Igreja de Cortegaça, em momento algum receberam qualquer pedido de autorização para as filmagens deste videoclipe do Artista José Malhoa”, refere o comunicado partilhado na página de Facebook.

A paróquia acrescenta que sente “indignação” pela utilização da igreja para um “uso satírico e imoral, ao serviço de um objetivo e propósito de âmbito pessoal, desrespeitando toda uma comunidade que tem na Igreja de Cortegaça a sua referência e identidade” e considera o ato como “uma profanação do espaço interior da nossa Igreja”.

Prometendo “agir em conformidade”, a paróquia diz que vai “analisar devidamente toda esta inconveniente situação, inteirando-nos do respetivo enquadramento legal”.

Ainda não há uma reação por parte do cantor.

Encontrou um erro ou um lapso no artigo? Diga-nos: selecione o erro e faça Ctrl+Enter.

1 Partilhas