Netflix: plano com publicidade não terá funcionalidade de transferências

Visualização de conteúdos offline deverá estar disponível apenas para os subscritores premium.
Thibault Penin on Unsplash
Este artigo foi publicado há, pelo menos, 2 anos, pelo que o seu conteúdo pode estar desatualizado.

Já é certo que a Netflix vai disponibilizar um plano pago com publicidade, mas ainda não é conhecido por completo em que vai consistir esta oferta. E os rumores que vão saindo mostram uma plataforma um pouco diferente da que estamos habituados.

Uma das funcionalidades da plataforma é a possibilidade de se poder descarregar conteúdos para um dispositivo e vê-lo offline. Só que, segundo a TechCrunch, essa funcionalidade não vai estar disponível na versão mais barata. Segundo a revista digital de tecnologia, esta característica foi descoberta pelo programador Steve Moser ao examinar o código da aplicação da gigante de streaming para iPhone e que publicou estas conclusões no seu blogue pessoal.

Os utilizadores da plataforma serão impedidos de fazer o download de conteúdos: “Transferências disponíveis em todos os planos, exceto na Netflix com anúncios”, lê-se no código. O plano com publicidade terá anúncios dirigidos a cada utilizador e não será possível “saltar”publicidade”: Precisamos de alguns detalhes para termos a certeza de que terás os anúncios mais relevantes na Netflix. Prometemos que será rápido!”, lê-se noutro texto do código.

Reagindo a esta informação, a empresa foi parca em palavras, referindo que esta descobertas eram neste momento “especulação”: “Ainda estamos no início da decisão de como lançar uma opção de preço mais baixo suportada por publicidade e nenhuma decisão foi tomada”, garantiu um porta-voz da Netflix à TechCrunch.

O novo plano deverá estar disponível em inícios do próximo ano, mas estas novidades podem ser um vislumbre daquilo que será a oferta da Netflix. A revista digital sugere que esta opção pode ser deliberada: retirando a opção de transferências ao plano com publicidade, pode fazer com que utilizadores se mantenham nos planos atuais. Além disso, a gigante de streaming anunciou em julho que algum do conteúdo pode não estar disponível no plano com publicidade, mas não deu pistas sobre quais conteúdos serão afetados. O CEO da Netflix Ted Sarandos referiu que a empresa está “em conversações com os estúdios”, mas “se lançássemos o plano hoje, os subscritores do plano com anúncios iriam ter uma ótima experiência”. O jornal “The Wall Street Journal” avançou que a Warner Bros. (detentora da HBO Max), a Universal e a Sony Pictures são alguns dos estúdios em negociação com a Netflix.

A nova estratégia da Netflix acontece num momento em que empresa enfrenta uma crise sem precedentes. Só num trimestre, a empresa perdeu 970 mil subscritores e a TechCrunch também sublinha a queda da qualidade do entretenimento no serviço, apesar do maior número de programas: enquanto os conteúdos da HBO e HBO Max receberam 140 nomeações, a Netflix recebeu apenas 105. Ao todo, a empresa diz ter 220,67 milhões de subscritores e espera ganhar mais um milhão no terceiro trimestre.

Em Portugal, a Netflix é a líder nas plataformas de streaming. Segundo dados de um estudo promovido pela Multidados em março, a partir de uma amostra de mil pessoas, a plataforma é a mais acedida, com 79,1% das preferências, seguindo-se a HBO Max, com 25,2%. No entanto, 21,6% dos subscritores portugueses diziam não saber se desejam manter a sua assinatura.

Total
0
Partilhas
Artigo anterior

"Ceyceyra Medieval" está de volta

Artigo seguinte

Ex-diretor da RTP apoia fim da transmissão dos jogos da I Liga nos canais internacionais

Há muito mais para ler...