Judite de Sousa abandona CNN Portugal

Informação foi avançada pela própria nas redes sociais. Media Capital diz que não tinha conhecimento da denúncia de contrato.
Direitos reservados
Este artigo foi publicado há, pelo menos, 2 anos, pelo que o seu conteúdo pode estar desatualizado.

Foi a cara do arranque do canal de notícias do grupo Media Capital. Mas agora abandona a estação. Judite de Sousa rescindiu o contrato que a ligava à CNN Portugal.

Foi a própria que anunciou a saída do canal através da sua página na rede social Instagram, respondendo a uma seguidora que tinha rescindindo “há mês e meio”. Vários meios de comunicação social citam ainda outro comentário de Sousa, que dá nota que o seu contrato era “a recibos verdes”. O blogue Espalha Factos diz que a saída da jornalista se deveu a “desentendimentos” com a direção do canal e com a equipa editorial do programa “Jornal da CNN”, onde era pivô em alternância com Júlio Magalhães.

Judite de Sousa foi a escolhida pelo (à altura) diretor geral da estação Nuno Santos para inaugurar a estação que substituiu a TVI24. Era o regresso da jornalista à televisão, depois de ter saído da TVI em 2019. Sousa era também colonista no site da CNN Portugal, sendo que o último artigo da rubrica “Notas Soltas” foi publicado a 13 de julho.

“Não tínhamos conhecimento” da denúncia do contrato – Nuno Santos

A reação do grupo Media Capital aconteceu esta manhã. O diretor de informação da TVI e da CNN Portugal Nuno Santos surgiu nos ecrãs da “Quatro”, durante o programa “Dois às 10”, para uma comunicação.

Dizendo ter a “obrigação de defender” a equipa e desmentindo algumas das informações vindas a público, Santos indicou que a saída de Judite de Sousa “nos deixa bastante tristes”, mas precisou que a empresa não tinha conhecimento de que a jornalista tinha denunciado o contrato: “Para nós, isso foi uma novidade porque não é essa a informação que temos aqui“. O diretor de informação precisou que a jornalista “tem um contrato de prestação de serviços com a TVI e com a CNN Portugal e está de baixa médica a seu pedido até ao próximo dia 11 de agosto”.

Outro dos objetivos da comunicação de Nuno Santos foi o de desmentir as informações divulgadas já esta terça-feira pelo Correio da Manhã e pela CMTV sobre as condições de trabalho de Judite de Sousa. Segundo os dois órgãos de comunicação social do grupo Cofina, a jornalista terá sido enviada à Ucrânia sem seguro, sem condições de trabalho e sem acesso a dinheiro, tendo chegado mesmo a pedir dinheiro emprestado a um repórter de imagem. Nuno Santos afirma que a sua direção não vai deixar que “em espaço público, se digam inverdades, mentiras sobre o que está a acontecer” e considerou a situação descrita como “impensável”: “A Judite escolheu a equipa com a qual quis trabalhar e nós demos-lhe todo o apoio nesse apoio. Se há alguma circunstância que nos pode ser apontada, foi de termos tido um apoio excessivo, em contraponto com outros produtos“. Além disso, considerou que a estação de televisão do CM tem “ajustes de contas a fazer connosco”

“A carreira da Judite, aquilo que ela fez nesta ‘casa’, merece-nos muito apreço”, sublinhou.

Total
0
Partilhas
1 comentário

Os comentários encontram-se encerrados.

Artigo anterior

A verdade é imperativa

Artigo seguinte

"Mães Paralelas" estreia no TVCine Top

Há muito mais para ler...