Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

o largo.

onde tudo acontece...

onde tudo se ouve...

sobre | spotify


As emissões d'o largo.fm serão retomadas em janeiro

31.05.19

Angelus TV fecha portas


Bruno Micael Fernandes

Divulgação

O canal Angelus TV termina as emissões esta sexta-feira. A estação de televisão católica portuguesa encerra ao fim de dois anos de atividade devido a dificuldades financeiras. 

Sandra Bastos, diretora do projeto, referiu à Agência Lusa, citada pelo Diário de Notícias, refere que o projeto não encontrou financiamento que sustentasse a continuidade das emissões. "Tem havido várias negociações e foram apresentadas várias propostas mas os valores anunciados não cobriam o passivo da empresa", referiu, acrescentando "não haver condições financeiras" para continuar de portas abertas com um passivo de cerca de um milhão de euros. "A Angelus TV não pode continuar a acumular dívidas". 

Ao todo, catorze colaboradores vão para o desemprego. "Apesar dos ordenados em atraso, a equipa sempre vestiu a camisola e abraçou o projeto de 'corpo e alma'", diz a diretora. 

Entretanto, Sandra Bastos fez um longo comunicado na emissão do canal. Referindo que o projeto foi "um sonho que, ao longo de quatro anos, Deus semeou no meu coração", a decisão de encerrar o canal "não foi tomada sem ponderação mas com muita oração". A diretora do projeto relembrou as dificuldades continuas da Angelus TV em se manter sustentável. "Tivemos uma empresa de publicidade que sempre nos trouxe as melhores perspetivas mas que, afinal, nada deu. Tivemos um particular que assumiu que nos ajudaria no arranque e nunca ajudou", enunciou Sandra Bastos, que lembrou que a equipa "bateu a todas as portas", inclusive à Igreja ou a empresários, e que um comercial "através do contacto direto" conseguiu trazer "feedback positivo" mas o resultado "ainda é muito pouco". Apesar de, em janeiro do ano passado, o canal ter lançado a iniciativa "Madrinhas e Padrinhos" para que os espetadores ajudassem à manutenção do canal, apenas conseguiram 1700 contribuintes e é "pouco para as necessidades que temos. Sabemos que, a longo prazo, seria com eles, madrinhas e padrinhos, que poderíamos contar mas é um caminho moroso para se conseguir a divulgação, o feedback e ajuda que hoje nos é necessária". 

A última transmissão do canal serà às 21h30 com a transmissão do terço em direto da Capelinha das Aparições, no Santuário de Fátima. 

Em março, Sandra Bastos referia que o canal tinha cerca de 50 mil espetadores diários mas que só recebia apoios "pontuais" da Igreja Católica. Nessa altura, o canal foi "bater às portas das 4397 paróquias de Portugal" e às congregações, pedindo apoios. Mas a resposta não foi a esperada "ao referirem que não tinham condições e que já tinham os seus apoios atribuídos", diz. 

Mas tudo pode mudar e o encerramento do canal ainda pode ser evitado. Uma proposta de um investidor, surgida em fevereiro, deu esperança, tendo-se iniciado os preparativos para a "abertura de uma  nova empresa" mas o investidor pediu tempo e não avançou qualquer valor para injetar no projeto. "Se o investidor, entretanto, avançar com o dinheiro", o canal não encerrará as emisões. 

A Angelus TV é um projeto privado de televisão católica. Lançado a 2 de maio de 2017, representa um investimento de 800 mil euros, tendo, na altura, 20 funcionários a tempo inteiro. O canal está presente nas operadores MEO, NOS e Vodafone, para além da emissão online no seu site. 

estamos no facebook e no twitter.
Escuta o largo.fm e torna-te patrono.
30.05.19

Emissão de novela da TVI cancelada em França


Bruno Micael Fernandes

TVI/Direitos reservados

Foi em abril que o grupo TF1 estreou a produção da TVI "A Impostora" (em francês: "La Vengeance de Veronica") nos canais TF1 TF1 Séries Films. Mas "a primeira telenovela portuguesa emitida em França" não correspondeu às expetativas em termos de audiências e a mesma vai ser retirada da grelha do canal principal do grupo ja a partir desta sexta-feira, dia 31 de maio. 

Dobrada em francês, "A Impostora" era uma das grandes apostas do canal para 2019 que estava a lutar contra a queda de audiências no horário matinal.

Mas a novela não convenceu! Entre 20 de maio e  24 de maio, a média de assistência de cada episódio era de 145 mil espetadores. A título de comparação, quando aquele estação de televisão emitia produções próprias, conseguia uma média de 240 mil espetadores. "A Impostora" chegou, em diversas ocasiões, a perder para canais de música, reposições ou documentários. 

Vendo a audiência a fugir, o primeiro canal francês teve que reagir, retirando o canal da grelha da TF1 mas, ainda assim, mantendo a novela no ar no canal dedicado à ficção TF1 Séries Films. Na TF1, a novela será substituída por duas produções francesas. 

Apesar de a TF1 intitular "A Impostora" como "a primeira telenovela portuguesa emitida em França", de facto, não é bem assim! Em canal aberto, embora restringido a uma determinada região, foram emitidas em solo francês várias novelas portuguesas  como "A Única Mulher" ("Mara, une femme unique", IDF 16play), "Amor Maior" ("Au nom de l'amour", Novelas TV), "Laços de Sangue" ("Liens de Sang", IDF 1) ou "Rosa Fogo" ("Rose De Feu", IDF 1). "A Impostora" está também em reposição, na sua versão original, no canal TVI Ficção, disponível em vários operadores franceses. 

estamos no facebook e no twitter.
Escuta o largo.fm e torna-te patrono.
29.05.19

Jornal online "O Corvo" encerra atividade


Bruno Micael Fernandes

Divulgação

O jornal online O Corvo encerrou, esta quarta-feira, a sua atividade jornalística. 

Num comunicado publicado no seu site, o projeto, surgido em 2013, refere que não conseguiu "garantir a sustentabilidade financeira" para a manutenção do projeto, apesar dos esforços feitos "nos últimos dois anos" com "uma reconfiguração do capital da empresa". "Esgotámos a capacidade para continuar a fazer jornalismo independente de qualidade", indica a direção do jornal. 

Ao jornal Público, Samuel Alemão diz que "fica sempre um sabor amargo por não termos conseguido manter o projeto. Lutámos, lutámos, lutámos mas não foi possível". O diretor da publicação lembra que, aquando da criação do jornal, "havia uma lacuna a colmatar no jornalismo sobre a cidade de Lisboa". 

Na altura da sua apresentação aos leitores, era dito que o jornal "nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana. Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam", refere o texto.  

O Corvo  foi lançado a 01 de março de 2013. 

estamos no facebook e no twitter.
Escuta o largo.fm e torna-te patrono.
28.05.19

Até junho, há "paisagens que criam" no NorteShopping


Bruno Micael Fernandes

Divulgação

Quatro artistas e a paisagem. Estes são os ingredientes da nova exposição no Silo-Espaço Cultural no NorteShopping. 

"A Paisagem que as paisagens criam" está patente desde este domingo e reúne obras de Carolina Sales Teixeira, Domingos Loureiro, Filipa Tojal e Patrícia Geraldes. 

A mostra, que se estende aos dois pisos do Silo-Espaço Cultural do centro comercial, tenta mostrar "o resultado da relação que os objetos criam entre si" abordando temas relacionados como "a cartografia, o território, o espaço e um movimento de releitura da tradição", explica o centro comercial em comunicado. 

O curador do espaço Nuno Malheiro Sarmento indica que "o trabalho destes quatro artistas" tem apontado "de forma tão interessante como múltipla, uma grande diversidade de possibilidade de nos relacionarmos tanto com aquilo que nos envolve, como com a imensidão das nossas paisagens interiores". 

A exposição é de entrada gratuita, podendo ser visitada de segunda a sexta-feira, entre as 12h30 e as 20h, e aos fins de semana, entre as 12h30 e as 22h, até 23 de junho. 

estamos no facebook e no twitter.
Escuta o largo.fm e torna-te patrono.
28.05.19

Cláudia Lopes deixa a TVI e reforça equipa de comunicação do Sporting


Bruno Micael Fernandes

Miguel Barreira/Record/Direitos reservados

A jornalista Cláudia Lopes vai deixar a TVI e vai integrar a estrutura de comunicação do Sporting.

A notícia foi avançada durante a tarde desta segunda-feira mas, até esta terça-feira, ainda não houve qualquer confirmação. Vários orgãos de comunicação social avançam que a jornalista e pivô do programa desportivo de sexta-feira "Mais Futebol" vai integrar a divisão "Sporting Comunicação e Plataformas" e alguns blogues afetos ao clube de Alvalade dizem que a jornalista será a nova diretora de comunicação do clube. 

Cláudia Lopes iniciará funções a 03 de junho.

A jornalista estava na TVI há dez anos e era, desde janeiro passado, editora de Desporto no canal de informação de Queluz de Baixo, sucedendo a Joaquim Sousa Martins. 

A entrada de Cláudia Lopes acontece depois de Rui Miguel Mendonça, o atual diretor da Sporting Comunicação e Plataformas anunciar a sua saída da estrutura leonina após um "revés inesperado" na sua vida. "Depois de muita reflexão e ponderação, cheguei à conclusão de que, nesta altura, não tenho as condições para continuar a servir o grande Sporting Clube de Portugal. É uma decisão estritamente pessoal", refere o antigo jornalista num comunicado na sua página de Facebook. 

estamos no facebook e no twitter.
Escuta o largo.fm e torna-te patrono.
publicidade

Pág. 1/4