Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

o largo.

onde tudo acontece...

20.09.18

Carlos Daniel sai da RTP


Bruno Micael Fernandes

Diana Tinoco/Jornal i

O jornalista Carlos Daniel vai sair da RTP, avança a edição online do Jornal de Notícias e, entretanto, confirmada pelo próprio jornalista. 

A, até agora, cara da estação pública vai abraçar o projeto "Canal 11" da Federação Portuguesa de Futebol (FPF). O jornalismo será um dos principais rostos, para além de dirigir os conteúdos do futuro canal, do site da FPF e de outros projetos de comunicação. 

"Decidi aceitar um desafio que me entusiasma e que será algo verdadeiramente novo no panorama dos conteúdos de desporto em Portugal", confirmou Carlos Daniel ao jornal online Observador. Dizendo que "não trocaria a RTP por um projeto que não fosse ganhador e que não tivesse como principal objetivo chegar aos portugueses, incentivar a prática desportiva, divulgar o futebol, os seus jogadores e treinadores", o jornalista descreveu o novo projeto como "aliciante e motivador". 

Esta é mais uma transferência "de peso" no mercado televisivo de 2018. O "Canal 11" arranca em maio do próximo ano e terá como diretor Nuno Santos, ex-diretor de programas da RTP SIC prevendo chegar a quatro milhões de lares. 

em atualização.

estamos no facebook e no twitter.
visita também a bilheteira do largo.
20.09.18

Membro do Charlie Hebdo censurada no Twitter


Bruno Micael Fernandes

Direitos reservados/Marianne/Charb/Charlie Hebdo

 

A rede social Twitter bloqueou a conta de Marika Bret, considerada uma figura histórica do jornal satírico Charlie Hebdo e também diretora de recursos humanos da publicação, por ter publicado uma caricatura de Charb, um dos cartoonistas que morreu no massacre ocorrido contra o jornal em janeiro de 2015. 

A conta foi bloqueada na segunda-feira devido ao facto de a colaboradora ter um desenho de Charb, durante quase três anos, intitulado "Os extremos tocam-se", como foto de perfil. A caricatura mostra um padre e um imã tocando-se nos pénis um do outro. 

À publicação Marianne, citada pela France Info, Marika Bret considerou o bloqueio "indecente e cobarde" e que, segundo ela, "vem juntar-se a muitos outros que aconteceram contra o Charb nos últimos três anos". Bret considera que a caricatura é o símbolo de uma "essência da luta de 23 anos do Charb contra o extremismo e o obscurantismo", uma opinião que não colheu junto dos moderadores da rede social. "É como se o Twitter estivesse a colocar o desenho de Charb ao mesmo nível das declarações anti-semitas, islamofóbicas e xenófobas dos racistas". 

Marika fez uma reclamação contra o bloqueio mas permece sem resposa. "Eu reli todas as condições e não vejo como é que o desenho vai contra as regras do Twitter", considera. 

A colaboradora vai mais longe e considera que esta censura à obra de Charb já aconteceu mais vezes, considerando estes acontecimentos como um a "segunda morte". "Começou em janeiro de 2015 quando ele foi acusado de levar as suas equipas à morte". Entretanto, várias universidades francesas têm bloqueado leituras públicas do livro de Charb, "Carta aos Escroques da Islamofobia que Fazem o Jogo dos Racistas", devido em muito à pressão de organizações estudantis. 

Marika Charb apelou à partilha do desenho por todos por toda a internet. "Vamos a ver se eles escolhem bloquear a conta de todos os utilizadores, desafiou. 

estamos no facebook e no twitter.
visita também a bilheteira do largo.
publicidade
Banner billboard Saldos 2019