Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

o largo.

onde tudo acontece...

10.05.18

Música Clássica e Alternativa, Teatro de Marionetas e “Contar Carneiros” são as propostas culturais para este fim-de-semana


helena margarida

mike-wilson-200289-unsplash.jpg

Direitos Reservados

Há seis concertos “Agora Aqui” no Castelo de Guimarães e Paço dos Duques de Bragança, sexta-feira e sábado, 11 e 12 de maio. Música alternativa com nomes como AQUASERGE (com membros de Tame Impala, Melody's Echo Chamber, e Stereolab), Montanhas Azuis (novo super trio formado por Norberto Lobo, Marco Franco, e Bruno Pernadas), Norberto Lobo (solo), Dada Garbeck (projeto a solo do teclista e compositor Rui Souza), Calmness, e April Marmara.

Divulgação

O Teatro de Marionetas do Porto está a celebrar 30 anos de vida e vai a Matosinhos no fim-de-semana com o espetáculo “Como um carrossel” que está de volta ao Teatro Municipal Costantino Nery para mais quatro representações, especialmente dedicadas ao público mais pequeno. As récitas terão lugar às 11h00 e às 15h00 no dia 11, às 15h00 no dia 12 e às 11h00 no dia 13.

As voltas do carrossel servem, neste caso, de metáfora da vida, que não é senão uma sucessão de circunvoluções em torno do sol, a bordo de um planeta chamado Terra. Objeto de um processo de reescrita e contando agora com momentos em Língua Gestual Portuguesa, o espetáculo incentiva o voo imaginativo das crianças, centrando-se na história de uma menina que vai crescendo numa espécie de viagem pontuada por múltiplas perguntas, estimulando a sua relação com o mundo e o seu crescimento.

Divulgação

Este sábado, 12 de maio, a Aldeia Vinhateira de Salzedas tem mais vida! Haverá teatro de rua, com dramatização à época, e um concerto de homenagem a Vivaldi, no Mosteiro de Santa Maria de Salzedas. O objetivo passa por envolver a população e visitantes numa apreciação cénica e musical do património edificado, para melhor o conhecer, apreciar, preservar, viver e compreender.

A iniciativa insere-se na rubrica Douro Vintage Fest, da Douro Generation e Rede de Aldeias Vinhateiras do Douro, no âmbito do projeto “Douro em Movimento, Aldeias com Vida” e realiza-se em parceria com o FITAP – Festival Internacional de Teatro e Artes Performativas, que se estende a 12 concelhos nacionais e a outros tantos internacionais, via Streaming.

Nos dias em que o Ciclo acontece leva-se aos lugares algo que se refere ao repertório para o Cravo a Solo e Cravo como instrumento (também) de acompanhamento. O Cravo e o Violino in illo tempore como motivo central para uma visita a locais de património classificado a partir da música na sua maioria afeta ao estilo que os monumentos encerram.

Divulgação

Vamos «Contar Carneiros» na Biblioteca? A pergunta é feita a crianças com idades entre os 6 e os 8 anos e acreditamos que vai haver muitos carneiros para contar. A vontade de dormir vai ser pouca e a animação uma constante. A iniciativa está de regresso à Biblioteca Municipal D. Dinis, em Odivelas, amanhã, sexta-feira e sábado. A programação é, como habitualmente, em torno do livro e da leitura: às 21h00 de sexta-feira, “Aqui Há História” - Oficina de dança e teatro de sombras e às 22h30 há “Contos no Escuro”. A ceia serve-se às 23h30 e às 00h00 chegam as “Canções de embalar. No sábado, o pequeno-almoço está marcado para as 09h00 seguindo-se a Hora do conto «Chapéus de sonhos».

Para esta atividade (mediante inscrição prévia para o 21 932 0770 ou bmdd@cm-odivelas.pt), os participantes devem trazer pijama, almofada e cobertura. As crianças terão que estar acompanhadas por um adulto e os interessados devem oferecer um livro à Biblioteca, de acordo com lista disponibilizada atempadamente.

 

 

estamos no facebook e no twitter.
visita também a bilheteira do largo.
10.05.18

Os Clássicos de maio do TVCine 2 são dedicados ao Film Noir


helena margarida

Divulgação

Género ou Estilo Visual? O certo é que, a década de 1940 ficou para a história de Hollywood como um período de ouro registado como Film Noir. Suspense, terror, intriga, obsessão, crime, ética e moral ambíguas, foram alguns dos elementos que fizeram dos Film Noir um grande sucesso, revistos hoje como obras primas do cinema. E, claro, a iluminação, com forte contraste entre o claro e o escuro, o branco e o negro, a luz e a sombra, de forma a destacar elementos ou personagens ou a mitigar situações e sequências.

O Sniper (1952), de Edward Dmytryk, 4 Homens e Uma Mulher (1955), de Phil Karlson, O Homem do Revólver Silencioso (1958), de Don Siegel, e Assassino Por Contrato (1958), de Irving Lerner, são quatro “films noir” que irão ser exibidos no Clássicos: Film Noir, de 10 a 31 de maio, sempre às terças-feiras, às 22h, no TVCine 2.  

estamos no facebook e no twitter.
visita também a bilheteira do largo.
10.05.18

“Fátima” de João Canijo estreia dia 13 de maio no TVCine 2


helena margarida

Divulgação

No dia em que todos os caminhos vão dar a Fátima, 13 de maio, O TVCine 2 estreia, às 22h00, as 11 histórias reais de uma Peregrinação a pé de 400 quilómetros.

“Fátima” de João Canijo é o testemunho de 11 atrizes que aceitaram o desafio do realizador para percorrer os caminhos da fé, desde Vinhais, no nordeste transmontano, a Fátima. O guião foi sendo construído com base no testemunho de cada uma. Meio ficção, meio documentário, o filme é um retrato de sacrifício, físico e psicológico, em busca da redenção com a chegada a Fátima.

Rita Blanco, Anabela Moreira, Cleia Almeida, Vera Barreto, Íris Macedo, Teresa Madruga, Ana Bustorff, Teresa Tavares, Alexandra Rosa, Márcia Breia e Sara Norte são as protagonistas deste filme duro, direto e, acima de tudo, realista.

estamos no facebook e no twitter.
visita também a bilheteira do largo.
10.05.18

“Pico Pico” no Centro Cultural de Lagos: um espetáculo para bebés


helena margarida

Direitos Reservados

“Pico pico saranico” é a lengalenga que dá o mote e nome a este espetáculo que abre ao som do Bolero de Ravel, interpretado por violino, fagote e guitarra. Os intérpretes vão ao encontro de cada criança dando a conhecer o som do seu instrumento ao mesmo tempo que se estreitam as relações com o público, criando um ambiente acolhedor, propício à espontaneidade. Há bolinhas de sabão pelo ar, ovelhas com problemas de identidade e um dragão escondido numa gruta! Há ainda uma bailarina que roda, roda, roda com os bracinhos no ar, mas não fica tonta nem sai do lugar! Escapa-se por uma porta e deixa-nos a sonhar! E, num estalar de dedos, twist and shout, e estamos quase a terminar… Conceito Uma roda musical para bebés. Um espetáculo onde o público é exposto a estímulos musicais ricos e contrastantes, e no qual se promove a interação e a comunicação entre os intérpretes e os bebés, entre os pais e os bebés, e entre os próprios bebés. Desde canções, lengalengas e onomatopeias até dança, poesia, efeitos visuais e outros encantamentos, procura-se proporcionar um ambiente acolhedor e, ao mesmo tempo, uma experiência artística diversificada incentivando o público a "cantarolar" e a "dançarolar"! “Pico Pico” conta com cinco intérpretes: quatro músicos (fagote, violino, guitarra e vozes) e uma bailarina. Juntos irão proporcionar uma viagem musical memorável cheia de surpresas!

Este espetáculo destina-se a bebés até 3 anos (acompanhados pelos pais). A disposição do público é em roda (em cima do palco). A lotação é de 20 bebés por sessão. “Pico Pico” é já este sábado, 12 de maio, às 16h00 e 17h00, no Centro Cultural de Lagos.

estamos no facebook e no twitter.
visita também a bilheteira do largo.
10.05.18

“Do Mar à Serra, Somos o que Fomos” na Casa do Sal em Castro Marim


helena margarida

Divulgação

A Casa do Sal, em Castro Marim, inaugura, hoje, 10 de maio, pelas 18h00, uma exposição etnográfica intitulada “Do Mar à Serra, Somos o que Fomos”. Esta mostra da cultura local e regional, destaca os costumes algarvios nas primeiras décadas do século XX, emblemáticas personagens, tradições e hábitos.

Os artefactos expostos são manifestações materiais das atividades das gentes algarvias, podendo encontrar-se antigos mesteres, como o aguadeiro, o cabreiro ou a salineira, num revivalismo de práticas que o tempo quase apagou, mas também com o objetivo de valorizar e preservar a identidade cultural junto do público mais jovem.

A exposição vai estar patente até ao mês de agosto e, até lá haverá oportunidade para desenvolver um conjunto de manifestações etnográficas e artísticas, versadas em cada uma das profissões, com reflexões conjuntas sobre o artesanato e as artes ancestrais, entre artesãos, promotores turísticos e designers.

Pela Casa do Sal vão então passar várias expressões artísticas, desde folclore, teatro, artesanato, estátuas vivas. Em permanência, está recriada uma taberna típica onde se poderá simplesmente estar ou conhecer e entreter-se com jogos de “outros tempos”.

estamos no facebook e no twitter.
visita também a bilheteira do largo.
10.05.18

LeV em Matosinho com “cidades dos romances” como protagonistas


helena margarida

imagem_LEV.jpg

A Biblioteca Municipal Florbela Espanca, em Matosinhos, acolhe, de 11 a 13 de maio, a 12ª edição do Festival Literatura em Viagem. A sessão inaugural está agendada para as 21h30 de hoje, sexta-feira, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Matosinhos e terá como convidado o músico e compositor Pedro Abrunhosa, autor de um dos mais inovadores trabalhos musicais portugueses das últimas décadas: o álbum “Viagens”, de 1994.

Jerusalém, Paris, Nova Iorque, Rio de Janeiro e Matosinhos. São cinco as cidades que vão centrar as atenções do evento que volta a reunir um conjunto notável de escritores, artistas e visões sobre os aglomerados urbanos que se confundem com a própria história dos povos e das ideias que os movem.

O “LeVzinho” vai levar os escritores Olinda Beja (São Tomé e Príncipe), Patrícia Müller e Richard Zimler a várias escolas do concelho, estando já abertas as portas para dois outros géneros de viagem proporcionados pelo LeV de 2018. A Biblioteca Municipal Florbela Espanca acolhe a digressão pelas memórias e raízes da pintora Maria Beatitude, enquanto a Galeria Municipal de Matosinhos mostra os leitores que, desde 2011, Sandra Barão Nobre fotografou nas suas múltiplas andanças pelo mundo.

De regresso ao “romance das cidades”, tema desta edição do LeV, as conversas arrancam às 15 horas de sábado, com o historiador Joel Cleto a guiar a visita pelo património imaterial de Matosinhos. Adriana Calcanhotto e Alexandra Lucas Coelho levarão depois o público até às contradições da cidade maravilhosa do Rio de Janeiro, cabendo a Isabel Lucas e João Tordo traçar o caminho até Nova Iorque, a cidade que nunca dorme. Já no domingo, Enric González e Tânia Ganho flanarão por Paris, enquanto o Sheikh David Munir e os escritores Miguel Miranda e Paulo Moura conduzirão a incursão por Jerusalém e pelos seus infindáveis conflitos.

A 12ª edição do LeV terá ainda tempo para um debate sobre a natureza e o apelo das cidades literárias, no qual participarão Francisco José Viegas e o escritor islandês Sjón, mas também para uma entrevista de vida ao inglês Jonathan Coe, vencedor do prémio Médicis e jurado do Man Booker Prize, um dos mais prestigiados do planeta.

A manhã de domingo será dedicada a uma Oficina de Escrita Criativa orientada pela escritora Filipa Melo, que acontecerá também na Biblioteca Municipal Florbela Espanca.

estamos no facebook e no twitter.
visita também a bilheteira do largo.
publicidade
Banner billboard Saldos 2019