Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

o largo.

onde tudo acontece...

08.04.18

“Caminhos do Ferro” para descobrir em Vila Nova da Barquinha de 13 a 15 de abril


helena margarida

Divulgação

O concelho de Vila Nova da Barquinha vai acolher, entre 13 e 15 de abril, os "Caminhos do Ferro", uma ação de programação cultural em rede que integra o projeto "Caminhos" promovido pela Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo e cofinanciado pela União Europeia (PT2020 e CENTRO2020). Todas as atividades têm entrada livre.

Município de Vila Nova da Barquinha

No primeiro dia o Teatro sai à rua acompanhado do Circo e vão à Escola D. Maria II apresentar Dragonologia, uma criatura de outros mundos, que percorre as ruas da região em busca de novas experiências. “Tiro”, um dragão com três metros de comprimento, ainda está a crescer e só quer conhecer novas pessoas e vilas e cidades, acompanhado do seu dono, “Liro”. Ao contrário de outros dragões, “Tiro” é inofensivo e caminha connosco apenas em busca de afetos. Uma criação da Companhia Projeto EZ que funde a cenografia e o teatro através dos veículos únicos criados por João Pinto.

Município de Vila Nova da Barquinha

À noite é no Centro Cultural de Vila Nova da Barquinha que “Irakurriz Shakti Olaizola” se dá a conhecer. Ficamos imersos no peculiar mundo feminino através de Shakti Olaizola e o seu “Irakurriz. Ela traz os seus livros, como que os diferentes capítulos de uma história cheia de memórias, descobertas, reações, sonhos… Brinca com situações e objetos do seu dia-a-dia, descobrindo as suas memórias e partilhando com o público. Ações diárias e objetos transformam-se num espetáculo, desafiando o movimento, a voz, o equilíbrio, a dança e a contorção. Como irá terminar esta viagem? O silêncio de quem observa o seu mundo instala-se desde o início do espetáculo.

Direitos Reservados

No dia seguinte, 14 de abril a música de Pedro Jóia invade a Igreja matriz da Atalaia, às 22h00. Observar Pedro Jóia e a sua guitarra é vislumbrar um único corpo. Nada é mecânico, nada é robotizado, tudo é intimidade. A ausência de olhar, as pálpebras fechadas que comunicam o caminho para a fusão do músico com o instrumento é uma voraz imagem que nos assalta sobre um fundo preto em que todas as cores do cancioneiro português dançam ao som de outros dois corpos humanos de acordeão e baixo vestidos. Uma viagem pelo fado, o flamenco, o Brasil e o jazz pelas mãos e pálpebras de um dos maiores nomes da guitarra em Portugal.

Direitos Reservados

Para o dia 15 de abril está marcado para a Igreja Matriz de Tancos, às 18h00, o concerto dos “Sopa de Pedra”. Em terra de amantes da música tradicional portuguesa, Barquinha, o grupo vocal feminino vai deixar a sua marca com um fim de tarde de celebração da identidade lusa… com viagens por outros países como Israel ou Espanha. Tal como no conto popular da Sopa de Pedra, a criação musical começa com uma base simples - uma pedra, uma tradição, uma melodia, um cantar - a que, ao longo do tempo, se vão adicionando novas facetas e novas vozes até surgir uma harmonia viva que, de cada vez que se canta, ou de cada vez que se junta um amigo, se reinventa.

Direitos Reservados

Ao longo dos três dias de “Caminhos do Ferro” Lara Soares desenha “Percursos Artísticos” no exterior do Centro Cultural de Vila Nova da Barquinha. Doutoranda em Educação artística e Mestre em Prática e Teoria do Desenho na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, a artista, que se licenciou em Artes Visuais na Escola de Artes de Caldas da Rainha, tem colaborado com diferentes estruturas da arte contemporânea. Na área da criação realizou várias exposições, apresentações e comunicações sobre o seu processo criativo em Desenho e performatividade. Em 2010 foi convidada para o programa de artistas em residência na Faculdade de Belas Artes do Porto e para a Universidade Det Tverrfaglige Kunstintutt I boerum em Oslo, Noruega. Integrou a equipa da Guimarães Capital da Cultura e continua como membro da equipa de serviço educativo do Centro Cultural Vila Flor.

estamos no facebook e no twitter.
visita também a bilheteira do largo.
08.04.18

Jaime Martins lança “Heróis do Ar” na Biblioteca Municipal Aquilino Ribeiro, em Moimenta da Beira


helena margarida

Divulgação

“Quando a aviação começa a desenvolver-se, no início do séc. XX, Artur Rebelo, um jovem natural da Marinha Grande apaixona-se pelos assuntos do ar. Ingressa na escola de aviação Militar, e conhece o Leiriense Fernando Lara Reis. Entre outros pilotos Portugueses são chamados a combater nos céus de França. A guerra trouxe amarguras, mas também progresso tecnológico, amores, paixões, encontros e desencontros”.

“Heróis do Ar” é um romance histórico que Nuno Monteiro da Silva, tenente-coronel piloto aviador, vai apresentar na Biblioteca Municipal Aquilino Ribeiro, em Moimenta da Beira, dia 14 de abril, pelas 16h30.

O livro procura passar um retrato fiel da envolvência e camaradagem dos pilotos de caça. “O leitor é levado a fazer uma viagem desde o início do século XX, até aos dias de hoje, num enredo em que convive com personagens como Machado Santos e Afonso Lopes Vieira, entre outros”. Uma viagem em que as intrigas de outrora são reveladas em fascinantes descobertas num sótão.

De uma forma implícita está um convite à reflexão sobre o papel da Carbonária, da Maçonaria e da Igreja numa época tão conturbada da nossa História. Não faltam as descrições de uma cerimónia carbonária, de uma cerimónia maçónica, e um olhar crítico aos acontecimentos em Fátima.

Passados cem anos sobre a batalha de La Lys, esta obra assume-se como um tributo a todos os portugueses que tombaram na Grande Guerra, aos pioneiros da aviação militar portuguesa e uma homenagem ao único soldado português fuzilado em França, cuja memória foi timidamente reabilitada em setembro de 2017”.

estamos no facebook e no twitter.
visita também a bilheteira do largo.
08.04.18

Largo do Beco lança rádio online e campanha de "moradores"


o largo.

DIvulgação

 

É mais um projeto do Largo do Beco: o blogue vai lançar uma rádio online já no próximo dia 10 de abril. 

"A Voz do Largo" é o nome de um projeto diferente do habitual: a webrádio será temática, isto é, ao contrário do habitual, as emissões da rádio vão-se modificando ao longo do ano, adotando um tema que se mantém em antena durante um determinado período de tempo.

"Essa é a grande novidade", diz Bruno Fernandes, diretor do Largo do Beco. "Ao contrário de outras rádios temáticas e que são na sua maioria sazonais, o que estamos a criar é um projeto cuja marca é sempre a mesma mas que, tal como uma cidade, vai sofrendo alterações: se alguém escutar hoje a rádio tem a ideia que, daqui a uns dias, aqueles conteúdos já não estarão no ar. Serão outros conteúdos, outras músicas", avança. 

As emissões arrancam sob o tema "A Voz do 25 de Abril", sendo que os ouvintes poderão encontrar anúncios de época e música portuguesa de intervenção (quer de época, quer mais contemporânea). A par disso, estão previstos conteúdos editoriais preparados pela equipa do Largo e que irão dar uma visão mais ampla das décadas de 60, 70 e 80 do século XX. 

O grande destaque desta versão da rádio acontece nos dias 24, 25 e 26 de abril em que "A Voz do Largo" fará uma reconstituição radiofónica do que se passou em 1974, numa emissão que incluirá  as senhas emitidas para iniciar as movimentações das tropas bem como os comunicados lidos ao longo do dia 25 e sons originais desse dia, transmitidos à hora certa. 

A atualidade de 2018 não é esquecida nesta rádio com um jornal em direto, de segunda a sexta-feira às 19h.

"Estamos muito entusiasmados com este novo desafio", refere Bruno Fernandes. 

As emissões poderão ser escutadas a partir do dia 10 em http://avozdolargo.largodobeco.pt

Blogue lança campanha de patronos... ou "moradores"

Entretanto, o Largo do Beco lançou uma campanha para angariar patronos para o projeto. Ou "Moradores do Largo".

A campanha, intitulada de "Juntos fazemos mais", engloba também três outros projetos "Informadouro", "Ouve-se" e  "Emprego & Empreendedorismo". 

"Acredito que o nosso trabalho vale a pena", refere Helena Margarida, diretora do Informadouro e do Emprego & Empreendedorismo. "Produzimos informação diária e que é útil para todos. Mas queremos continuar a produzir informação e conteúdos diferenciadores e de qualidade", reforça

A campanha apela a uma doação mensal de, no minimo, um dólar (cerca de 0,80€), estando a constribuir para todos os projetos. Ao doar, torna-se "Morador do Largo", integrando uma lista que estará online em breve. O "morador" pode cancelar a sua doação mensal quando quiser. No entanto, o seu nome ficará para sempre nesta lista. 

A campanha está a decorrer em http://patreon.com/largodobeco

estamos no facebook e no twitter.
visita também a bilheteira do largo.
publicidade
Banner billboard Saldos 2019